conteúdo da página Melhorar comportamentos | PetSkill

MELHORAR COMPORTAMENTOS

   É possível perceber que muitos princípios e lógicas humanas podem ser aplicadas para os animais, principalmente se analisarmos comportamentos de crianças e cães. Muitos conceitos utilizados de comportamento canino são adaptados da psicologia humana, porém há que se considerar que os animais possuem organização social e complexidades cerebrais muito diferentes. Para alcançar a parceria tão desejada entre tutores e cães é preciso entender e respeitar essas diferenças.

    Assim como as crianças, os cães precisam que regras sejam estabelecidas e que exista disciplina, é claro que se deve levar em consideração as limitações dos cães. As regras devem ser muito claras, ou seja, deve haver certeza que os “alunos” saibam o que se quer deles. Para respeitar as regras o cão precisa acreditar que o educador saiba o que está fazendo. Para isso o educador necessita entender muito bem a linguagem canina e seja capaz de se comunicar com o bicho. Um profissional capacitado pode orientar nessa missão maravilhosa. A partir daí o cachorro que causava problemas passa até resolve-los, pois ele terá a função de alegrar seus dias.

Como corrigimos comportamentos indesejáveis dos pets é outro aspecto que exige conhecimento para não piorar o que já está bem ruim. Os cães gostam de atenção e quando os animais são repreendidos por terem determinados hábitos, acabam tendo a atenção que esperavam. Se conseguem chamar essa atenção somente quando fazem algo que consideramos errado, então será isso que continuarão fazendo.

   Eles não tem discernimento sobre o que é certo ou errado, isso quem os orienta é o tutor. Então devemos ensiná-los a terem atitudes que se espera e reforçar os acertos, dar atenção quando estão fazendo algo desejável, mostrando a eles que estão no “caminho certo”, evitando ao máximo dar atenção para os erros (existem outros métodos mais eficientes para corrigir os erros).

    Conquistar a confiança do cão, como já vimos, é fundamental para educá-los, mas precisa estar atrelada ao objetivo de tornar-se o líder do animal de estimação. Ter a confiança sem intenção de obter a liderança não é nada bom, temos como exemplo cães mimados, que fazer o que querem, quando querem, dificultando muita a vida dos tutores. Mas aquele “líder” do passado, que consegue a submissão por imposição, também é muito ruim, pois geram animais desmotivados, muitas vezes antissociais com outros cães e pessoas, podendo ser medrosos e até desenvolver agressividade por medo.

    Esses comportamentos prejudicam muito o aprendizado no treinamento. Para alcançar de fato a real liderança, as duas práticas devem ser utilizadas em conjunto de técnicas de adestramento racional e positivo.

   O cão precisa saber que a sua sobrevivência depende do seu tutor e que as coisas boas que ocorrem com ele são proporcionadas por esse guardião. Quanto mais situações forem repetidas para reforçar essa ideia, cada vez mais o animal relacionará o tutor como seu líder.            O cão seguirá seu líder porque acredita que fará o melhor para ele, ficando bem cuidado e seguro. Mas para conseguir harmonia nessa relação, o cachorro precisa entender que para ele ter essas coisas legais terá que merecer, para isso, deve-se utilizar ações estratégicas.

PetSkill

Creche, Hotel e Adestramento de cães

Avenida Cerro Azul 938, Zona 2 - Maringá-PR
(44) 3030-1300 / (44) 99107-3816